Papa aprova decreto de beatificação da Ir. Maria Clara do Menino Jesus

Papa aprova decreto de beatificação da Ir. Maria Clara do Menino Jesus

Portugal vai ter nova Beata
Papa reconheceu milagre atribuído a Madre Maria Clara do Menino Jesus, que viveu no século XIX e fundou congregação religiosa dedicada aos mais pobres.

Um milagre atribuído à intercessão da religiosa portuguesa Irmã Maria Clara do Menino Jesus (1843-1899), natural de Lisboa, abre caminho, em definitivo, à sua beatificação.
Bento XVI aprovou hoje, 10 de Dezembro, a publicação do Decreto de aprovação do milagre, último passo antes da cerimónia.
O caso da fundadora da Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição (CONFHIC) refere-se, segundo o instituto religioso, à “cura repentina de pioderma gangrenoso” (doença cutânea ulcerativa) de que a espanhola Georgina Troncoso Monteagudo sofria há 34 anos.
A Ir. Maria Clara do Menino Jesus, conhecida por Mãe Clara, nasceu na Amadora, em Lisboa, a 15 de Junho de 1843.
Recebe o hábito de Capuchinha, em 1869, tomando o nome de Irmã Maria Clara do Menino Jesus. É enviada a Calais, França, a 10 de Fevereiro de 1870, para fazer o Noviciado, na intenção de fundar, depois, em Portugal, uma nova Congregação.
Funda a primeira Comunidade, em S. Patrício - Lisboa, no dia 3 de Maio de 1871 e, cinco anos depois, a 27 de Março de 1876, a Congregação é aprovada pela Santa Sé. Ao longo da sua vida abre grande número de casas para recolher pobres e necessitados, em Portugal, e envia Irmãs para as Missões: Angola, Goa e Guiné-Bissau.
Morreu em Lisboa, no dia 1 de Dezembro de 1899.
“Mulher de coração sensível e sem fronteiras, notabilizou-se por uma vida inteiramente dedicada ao acolhimento e cuidado dos mais necessitados, que considerava «a sua gente»”, refere o comunicado da CONFHIC.
A 6 de Dezembro de 2008, o Papa autorizou a publicação do decreto que reconhece as “virtudes heróicas” da Irmã Maria Clara do Menino Jesus.

Sexta, 10 de Dezembro de 2010